Área do cliente

Notícias

Lyra garante apoio a estudante alagoana que pode conquistar Top 10 mundial

Quarta-feira, 06 de outubro de 2021

Aluna da 3ª série do ensino médio da Escola Sesi Cambona, Ana Júlia é a nova referência da qualidade da educação disponibilizada pelo Sesi

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (Fiea), empresário José Carlos Lyra de Andrade, recebeu, na manhã desta quarta-feira, 6, a alagoana Ana Júlia Monteiro, de 17 anos. Aluna da 3ª série do ensino médio da Escola Sesi Cambona, ela é a nova referência da qualidade da educação disponibilizada pelo Serviço Social da Indústria (Sesi).

Ana Júlia está entre os três estudantes brasileiros selecionados para a final do Global Student Prize, uma premiação internacional que considera conquistas acadêmicas, capacidade de liderança e projetos ligados à comunidade. Única estudante do Nordeste a concorrer ao prêmio, a alagoana faz parte de um time mundial, formado por 50 jovens, escolhidos em 94 países. Os outros dois brasileiros são do Rio de Janeiro e São Paulo.

A premiação é dada por entidades como a Varkey Foundation, fundação com sede no Reino Unido que fomenta a qualidade da educação no âmbito internacional, a Unesco, órgão da ONU para a educação e as ciências, e a Chegg, empresa norte-americana de tecnologia educacional, sediada na Califórnia (EUA).

“Recebi muitos elogios por você, o que nos deixa felizes. Parabéns por representar tão bem Alagoas, o Sesi e nossa juventude”, disse José Carlos Lyra, que é também diretor regional da entidade. O empresário garantiu a ela todo apoio que necessitar para avançar na disputa pelo Top 10 do Global Student Prize e, assim, no final do ano, ir a Dubai, nos Emirados Árabes, onde geralmente acontece a cerimônia de premiação.

Com domínio do inglês, conhecimento do japonês, e muita disposição para os estudos, Ana Júlia aspira estudar Engenharia Mecânica e Business fora do Brasil e, para isso, tem se dedicado com afinco. Sobre a disposição para a ciência ela explica com segurança:

“Gosto de pesquisar formas de melhorar a vida das pessoas, de mudar realidade nas comunidades do entorno onde vivo e estudo. Penso em como mudar o futuro!”, afirma ela, que participa do projeto EcoSururu, desenvolvido pela Escola Sesi Cambona na orla lagunar de Maceió, que usa casca de sururu na fabricação de telhas.

A estudante do “Terceirão” ressalta que iniciou seus projetos científicos no Sesi, onde recebeu total incentivo, destacando-se não apenas na robótica, área onde já foi premiada diversas vezes, como também em conexão e network. O impacto de seus estudos pode levá-la ao Top 10 do mundo.

Acompanharam a visita a diretora de Educação e Tecnologia Sesi Senai, Cristina Suruagy, a gerente de Educação do Sesi, Clarisse Barreiros e a diretora da Escola Sesi Cambona, Dayse Teixeira.

Compartilhe: